Falando de Gestão

Neurobusiness: estudo de brasileiros revela como empresários podem potencializar resultados por meio da neurociência

Foto: Pixabay.com – johnhain

Os empresários possuem condições de potencializar seus negócios e melhorar ainda mais seus resultados, caso invistam no neurobusiness. É o que defende um estudo elaborado por pesquisadores brasileiros e publicado na edição de junho deste ano da Revista Científica Multidisciplinar Ciência Latina, conveniada ao Grupo Redilat, uma importante rede de Investigadores Latinoamericanos. Com a publicação do artigo, a equipe espera contribuir com a formulação de novas teorias relacionadas ao funcionamento do cérebro no contexto empresarial.

Intitulado “El neurobusiness y su aplicación como medio para optimizar el negocio” (em português, “O neurobusiness e sua aplicação como meio para otimizar os negócios”), o estudo foi liderado pelo neurocientista e diretor do Departamento de Ciências e Tecnologia da Logos University International, nos Estados Unidos, Prof. Dr. Fabiano de Abreu Agrela Rodrigues. Além de Abreu, o artigo também é assinado por Eduardo António de Souza Campos e Jennifer Aline Silva de Paula.

Para os autores, o neurobusiness é uma tendência de mercado que pode contribuir para os resultados de diversos empresários ao redor do mundo. Depois de estudar o comportamento do cérebro no contexto empresarial e financeiro, a equipe entendeu que é possível aplicar conceitos da neurociência, já conhecidos por pesquisadores, nos negócios em geral.

Entre as conclusões estão a possibilidade de se otimizar uma campanha de marketing baseada em determinadas características de personalidade mapeadas por meio da neurociência. Assim, ao saberem questões mais específicas sobre os grupos que se quer atingir, como fobias, hábitos, traumas infantis, tendências genéticas, tendencias regionais, as empresas poderão saber o que e como lhes oferecer.

“Sabemos como estimular o cérebro, os neurotransmissores, mas o material humano é uma incógnita e o azar é algo possível. Ainda assim, estaremos mais preparados e prontos para utilizar o cérebro a nosso favor, podendo utilizar o neuromarketing para captar novos clientes e novos leads, utilizar a neurovenda para conseguir negócios, a neurogestão para otimizar processos e reduzir custos, e outros muitos conceitos”, escrevem os autores. “O cérebro é o futuro, a revolução empresarial”, dizem.

Além deste artigo publicado na revista Ciencia Latina, um curso de neurobusiness será lançado por Abreu, na Escola Europeia de Negócios, na Espanha e Bolívia, na versão em espanhol e também na Logos University International, versão inglês e português. “Esse artigo ele é uma introdução, um pequeno resumo do que vai ser o curso que eu vou montar”, completa.

Fonte: MF Press Global

About

A proposta do Site Falando de Gestão é criar um espaço para que os leitores possam ter a disposição um espaço de discussão e aprendizado sobre assuntos ligados a gestão, comportamento humano e inovação.

POST YOUR COMMENTS

Your email address will not be published. Required fields are marked *