Falando de Gestão

Segurança Psicológica: Um Pilar Essencial no Ambiente Corporativo

segurança psicológica

Mas, afinal, o que é segurança psicológica?

Nunca se falou tanto em segurança psicológica. Realmente, é um dos tópicos mais relevantes em gestão de pessoas atualmente. Essa preocupação surgiu como uma resposta aos impactos da pandemia de COVID-19 na saúde mental e no bem-estar dos trabalhadores e continua em alta em 2024.

Mas, afinal, o que é segurança psicológica? Podemos recorrer ao pensamento de duas figuras mundialmente influentes nessa área. A primeira é a professora e pesquisadora Amy Edmondson, da Harvard Business School. Segundo ela, a segurança psicológica é a confiança de que o ambiente corporativo deve permitir que as pessoas corram riscos interpessoais.

Para que um ambiente seja seguro, é preciso que todas as pessoas compreendam que não correm riscos ao serem quem são, desde que seja feito com civilidade, contribuir com o time e de uma maneira responsável, e devem compreender que desfrutam de liberdade para aprender e errar sem punições.

Errar é um passo inerente ao aprendizado. Ser quem somos do ponto de vista da nossa identidade favorece a criatividade. Contribuir e poder criticar de maneira construtiva tornam as pessoas mais confiantes e produtivas.

A outra contribuição que trago é a do cientista social americano Timothy Clark, que oferece um conceito complementar e define os quatro estágios da segurança psicológica. Segundo Clark, para que uma empresa tenha sucesso, é preciso trabalhar o assunto sob a perspectiva de quatro estágios. A primeira etapa a ser trabalhada é o da inclusão onde o colaborador deve se sentir parte do time, ele não será produtivo. O segundo momento a ser trabalhado é a do aprendizado, é preciso respeitar o tempo de aprendizado do indivíduo e reconhece que no processo de aprendizagem, o erro pode surgir e deve ser entendido como parte natural do desenvolvimento. O terceiro tópico a ser desenvolvido é o da contribuição, onde o colaborador pode transformar o trabalho, o produto, o serviço e as relações, permitindo a transformação da organização, nesta fase é que surge a criatividade e a cidadania organizacional. A quarta perspectiva é a possibilidade de criticar, de fazer uma crítica responsável e colaborativa para melhorar o que já existe, promovendo um sentimento no colaborador de “dono do negócio”.

Uma organização pode alcançar a excelência, um bom atendimento ao cliente e uma cultura de inovação bem desenvolvida se oferecer segurança psicológica aos seus colaboradores. O tema ganhou proporções importantes quando a Organização Internacional do Trabalho (OIT) reconheceu que o ambiente de trabalho pode ter sérias consequências para a saúde mental dos trabalhadores. Nas novas diretrizes, a OIT recomendou evitar cargas de trabalho pesadas, bullying e violência psicológica, além de treinar gerentes e líderes para evitar ambientes estressantes que possam contribuir para problemas de saúde mental.

Para que as empresas mantenham equipes saudáveis, não enfrente um alto turnover e absentismo não basta cuidar apenas da saúde física; é crucial cuidar também da saúde mental, pois as empresas continuarão precisando de gente na linha de frente de seus negócios, somente pessoas entendem pessoas.

Vamos refletir e sucesso!

About

O site Falando de Gestão tem a missão de produzir conteúdo capaz de despertar Insights positivos nos leitores.

POST YOUR COMMENTS

Your email address will not be published. Required fields are marked *