Falando de Gestão

Para atender demanda de empresas por profissionais, Tera lança cursos em produtos digitais

Formações em Product Design e Product Discovery capacitam profissionais, cujos salários médios variam de R$ 6,2 mil a R$ 10,8 mil. Capacitação auxilia em processos seletivos

Para atender áreas com alta demanda e falta de profissionais qualificados, a Tera, plataforma de educação online e ao vivo para carreiras digitais, está expandindo suas opções de formação com dois novos cursos. A formação em Product Design é destinada àqueles que querem fazer uma transição completa para o mercado digital. Enquanto a de Product Discovery é voltada para profissionais de produto que queiram aperfeiçoar suas habilidades na metodologia. Ambos os cursos são em formato híbrido (aulas gravadas e ao vivo) e contam auxílio em processos seletivos.

As oportunidades podem, inclusive, abrir portas para vagas do setor e possibilitar contato direto com experts de grandes empresas empregadoras — como XP Inc., IFood e Itaú. Com salários médios entre R$ 6,2 mil a R$ 10,8 mil, as áreas de Product Management e Product Design somam mais de seis mil vagas abertas, segundo o portal Glassdoor.

“Começamos a desenhar os cursos em cima das demandas do mercado de tecnologia. Vemos que a área de produtos digitais cresce a cada ano no Brasil, tanto em negócios nativos digitais como nos mais tradicionais. Porém, o desenvolvimento na carreira de produto não é linear, não existe uma faculdade de produtos digitais. Isso faz com que seja necessário manter uma formação recorrente, atualizada no que há de mais novo nos processos e metodologias atuais para que a jornada de produto seja vista de uma forma 360º”, afirma Leandro Herrera, CEO e fundador da Tera.

Segundo Lucas Freire, coordenador do curso de Product Design, a capacitação é focada em suprir a demanda do mercado por especialistas que tenham tanto uma visão de negócio quanto de experiência do usuário. “Designer de Produto é o profissional que vai pensar no projeto do produto como um todo, considerando também as necessidades da empresa e dos clientes — diferente do UX Designer, que pensa exclusivamente em desenhar a experiência de forma intuitiva para a pessoa usuária. É um profissional que tem uma visão bem ampla, permitindo que ele atue em diversas frentes, desde a entrevista com o usuário até o próprio protótipo de produto”, explica. O mercado na área está em expansão. Pesquisa do NNGroup mostra que, até 2050, essa área irá atingir 100 milhões de pessoas.

Dinamismo do setor exige atualização constante

Já o curso Product Discovery capacita Product Managers na metodologia que analisa a melhor forma de alinhar o negócio com os usuários — entendendo o que produtos em desenvolvimento precisam, para então atender às necessidades dos clientes. A pesquisa Digital Skills, lançada em 2022, mostrou que quanto maior as competências de alguém nessa prática, mais chance de promoção há para ela dentro da área. “Sobretudo quando falamos da perspectiva digital, a realidade é que os produtos nunca estão prontos. O dinamismo do mundo traz a exigência de se manter um acompanhamento contínuo dos resultados nesse campo. As criações que vemos hoje foram projetadas para satisfazer recortes momentâneos”, explica Carolina Gonçalves, coordenadora da escola de Produto na Tera.

Segundo Leandro Herrera, CEO e fundador da Tera, a menor duração do curso de Product Discovery, frente a outros cursos da edtech, é para ajudar na resolução de problemas de quem já está atuando com o mercado e precisa resolver sua dor de forma rápida. A capacitação dura oito semanas de aulas. “Queremos atender a demanda do mercado por profissionais que sejam flexíveis e consigam mitigar riscos para resolver o problema certo na hora certa — entregando mais valor, com mais impacto, em menor tempo e alinhado ao objetivo do negócio”, diz Herrera. “A ideia que se tem hoje é que Discovery parece ser mais difícil do que é de fato e nós queremos desmistificar esse processo. Trazer a metodologia não só para nativos digitais, mas para empresas tradicionais também”, complementa.

Sobre a Tera

Fundada em 2016, a Tera é pioneira no modelo de bootcamps de tecnologia no Brasil, um formato de ensino prático e intenso, de duração de nove a 24 semanas, com foco em áreas de alta demanda no mercado de trabalho e déficit de profissionais capacitados. A edtech já formou mais de 10 mil estudantes, que hoje ocupam posições em empresas como PicPay, Nubank e Loft, e atende mais de 300 clientes corporativos no processo de capacitação de colaboradores. Os cursos cobrem áreas como Product Management, Data Science & Machine Learning, User Experience Design, Data Analytics e Full Stack Development, ajudando profissionais que querem transicionar de carreira ou se desenvolver para avançar profissionalmente.

A jornada do estudante é realizada por meio de uma plataforma de aprendizado digital própria e exclusiva da startup, o LXS (Learning Experience System). É nesse sistema em que as aulas ao vivo são ministradas e todos os conteúdos remotos são hospedados — dos vídeos aos textos e exercícios. Os experts da startup, especialistas que atuam no mercado de tecnologia no Brasil e no mundo e que conduzem as aulas ao vivo, já somam 180 profissionais.

Ao longo dos cursos, os inscritos desenvolvem projetos próprios e resolvem desafios reais de negócio assinados por empresas parceiras, auxiliando na construção de seus portfólios. “Acreditamos que a maneira como adultos se qualificam para o mercado de trabalho está em processo acelerado de disrupção e nós estamos criando uma plataforma digital completa para que pessoas possam aprender, se conectar e evoluir profissionalmente”, comenta o fundador.

Fonte: Dialetto

About

A proposta do Site Falando de Gestão é criar um espaço para que os leitores possam ter a disposição um espaço de discussão e aprendizado sobre assuntos ligados a gestão, comportamento humano e inovação.

POST YOUR COMMENTS

Your email address will not be published. Required fields are marked *