Thursday, 25/7/2024 | 2:49 UTC-3
Falando de Gestão

Controladoria: Origem e Conceitos Fundamentais

Por Que a Origem da Controladoria se Relaciona ao Fluxo de Informações e ao Suporte no Processo Decisório Organizacionais? Que Fatores Influenciaram o Surgimento da Controladoria? De Que Forma a Verticalização, a Diversificação e a Expansão Geográfica das Organizações se Relaciona à Origem da Controladoria?

Por Julio Cesar S Santos

A Controladoria surgiu devido à necessidade de otimizar resultados das decisões que são tomadas na empresa e, coloca como premissa para sua existência a de que a ciência contábil tem o instrumental adequado para o controle empresarial e otimização do resultado de entidades econômicas ([1]).

Levantamento realizado sobre as origens da Controladoria encontrou fontes anteriores ao século XV. Iniciou-se na Inglaterra e foi na área pública que se deu o marco do seu desenvolvimento. Em seguida, alastrou-se para os Estados Unidos, por meio das estradas de ferro, do surgimento dos conglomerados comerciais e da participação de inúmeros acionistas em operações financeiras, atingindo a iniciativa privada.

A origem da Controladoria ocorreu no âmbito empresarial, como forma de adequação das empresas às necessidades organizacionais, no que diz respeito ao fluxo de informações e suporte no processo decisório. Preparando as informações de forma específica e completa para os gestores com flexibilidades que permitam simular e compreender as mais diversas situações que subsidiam o processo de tomada de decisão.

De acordo com Schmidt e Santos (2006) constata-se a origem da Controladoria no final no século XIX e início do século XX, ligada ao processo de evolução dos meios sociais e de produção que ocorreram com o advento da Revolução Industrial. Segundo os mesmos autores, o surgimento da Controladoria foi influenciado por quatro fatores:

  • Aumento em tamanho e complexidade das organizações;
  • Globalização física das empresas;
  • Crescimento nas relações governamentais com os negócios das companhias;
  • Aumento no número de fontes de capital.

Entre os fatores responsáveis pelo surgimento da Controladoria, Beuren (2002, p. 20) destaca a finalidade de realizar rígido controle de todos os negócios das empresas relacionadas, subsidiárias e/ou filiais. O crescimento vertical e diversificado desses conglomerados exigia, por parte dos acionistas e gestores, um controle na central em relação aos departamentos e divisões.

Todo este desenvolvimento deu-se em virtude de três fatores: verticalização, diversificação e expansão geográfica das organizações, e o consequente aumento da complexidade das suas atividades, o que exigiu outro tipo de controle por parte da Controladoria, contribuindo para a ampliação das funções do Controller.

Para Frezatti et al (2009, p. 26): “a Controladoria é o órgão da empresa cuja missão consiste em zelar pela eficácia do seu processo de gestão, tanto para finalidades internas como externas, isto é, cuidar para que seus usuários disponham de todas as informações necessárias para que possam atingir plenamente os seus objetivos”.

Dessa forma, como componente de uma estrutura organizacional, a Controladoria pode ser definida – em termos amplos – como o órgão da empresa cuja missão é zelar pela eficácia do seu processo de gestão e fornecer informações de natureza econômico-financeira para todos os stakeholders – investidores, gestores, clientes, fornecedores, comunidade, governo e funcionários – procurando monitorar o equilíbrio das relações entre eles.

Missão da Controladoria

Conforme Oliveira (2009, p. 16) a Controladoria contribui para uma organização da qual faça parte ao desempenhar atividades como: colaborar na formação das estratégias, organizar, analisar e apresentar dados coletados e consistentes com a missão e visão da empresa. Para ele, a missão deve ser motivadora e é melhor quando guiada por uma visão de como o negócio deve se orientar nos próximos dez anos ou mais. Finalmente, deve possibilitar a visão do negócio como um processo de satisfação do consumidor, e não como um processo de fabricação de um determinado produto.

Deve-se considerar que a declaração da missão determina a definição de diretrizes básicas para a gestão das atividades empresariais e, ainda, argumenta que a missão de uma empresa se relaciona com a satisfação de uma necessidade do seu ambiente externo. Para PADOVEZE ([2]) Controladoria é a unidade administrativa dentro da empresa que, por meio da Ciência Contábil e do Sistema de Informação de Controladoria, é responsável pela coordenação da gestão econômica do sistema empresa.

PADOVEZE referencia outro autor (Catelli), o qual define que a missão da Controladoria é assegurar a eficácia da empresa por meio da otimização de seus resultados. Já o próprio Catelli (2001) afirma que a missão da Controladoria é assegurar a eficácia da empresa por meio da otimização de seus recursos.

Dessa forma, corroborando com os autores citados acima, a missão da Controladoria é oferecer suporte a gestão organizacional, de modo que esta atinja seus objetivos, cumprido assim sua missão. Pode-se, ainda, dizer que as mesmas considerações devem ser feitas quando se aplica a ideia de missão ao contexto das áreas organizacionais. Portanto, a missão da Controladoria, como asseguradora da eficácia empresarial torna-se uma atividade voltada para os resultados da entidade por ser de atuação operacional.

De acordo com PADOVEZE (2012) a empresa tem uma missão, que é satisfazer as necessidades da sociedade; e ela as explicita por meio dos produtos ou serviços oferecidos aos clientes. A sua missão provém de crenças e valores e, para a produção e entrega de bens e serviços, a empresa é segmentada em áreas de responsabilidade e necessita de informações, que é o subsistema de informação (sistemas de informação de apoio às operações e sistemas de informação de apoio à gestão).

Conclui-se que a Controladoria é responsável por assegurar a eficácia da empresa, mediante do controle das operações e seus resultados planejados de forma a atingir os objetivos e resultados delineados e, ainda, satisfazer os acionistas do empreendimento.


([1])  OLIVEIRA, Antônio Benedito Silva. Controladoria: fundamentos do controle empresarial. São Paulo: Saraiva, 2009. 346 p.

([2])  PADOVEZE, Clóvis Luís. Introdução à administração financeira: texto e exercícios. São Paulo: Thomson, Cengage Learning, 2005. 299 p.

Julio Cesar S. Santos é Professor, Consultor, Palestrante e Co-Autor do Livro: “Trabalho e Vida Pessoal – 50 Contos Selecionados”. Elaborou o curso de “Gestão Empresarial” e atualmente ministra Palestras e Treinamentos Sobre Marketing, Administração, Técnicas de Atendimento ao Cliente, Secretariado e Recursos Humanos. Contatos: jcss_sc@yahoo.com.br / www.profigestao.blogspot.com

Banner
About

A proposta do Site Falando de Gestão é criar um espaço para que os leitores possam ter a disposição um espaço de discussão e aprendizado sobre assuntos ligados a gestão, comportamento humano e inovação.

POST YOUR COMMENTS

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Fale com a gente Nossos contatos

Email: atendimento@falandodegestao.com.br

Phone: 85 98568-1058

Address: Fortaleza -Ceará

+ Artigos