A Lei do Nicho

Pedro Paulo Morales - Editor do Blog

Pedro Paulo Morales – Editor do Blog

Por Pedro Paulo Morales

Certa vez os animais de uma floresta decidiram que para melhorar o desempenho de suas atividades todos teriam que frequentar uma escola diária onde os objetivos seriam capacitar os animais para fazerem as mais variadas atividades dentro da floresta, sendo assim foi elaborado um currículo que incluía corrida, escalada, natação e voo.

À medida que o treinamento seguia os participantes do curso começaram a ter problemas. O pato era muito bom em natação, mas consegui tirar notas boa somente em voo. Na corrida foi mal devido a sua lentidão e para poder atingir a média na prova de corrida parou de treinar natação. De tanto treinar para correr machucou sua pata e na prova de natação ficou apenas na média.

O coelho logo se despontou na corrida, mas logo teve uma contração muscular devido ao esforço para passar na prova de natação e como consequência também apenas atingiu a média na prova de corrida. O esquilo era muito bom em escalada, mas teve muita dificuldade na aula de voo porque o instrutor exigia que ele começasse a voar do chão em vez de começar de cima de uma árvore, por causa disso ele teve dificuldade para passar nas provas de corrida e escalda.

A águia apesar de sua capacidade de enxergar com muita precisão e agilidade nos movimentos tornou-se um aluno problemático por não querer seguir os métodos do curso. Foi reprovado em todas as provas porque insistia fazer tudo a sua maneira!

Esta fabula do escritor Charles Swindoll está em “O Livro de Ouro da Liderança” do conferencista e palestrante John C. Maxwel, um dos maiores treinadores de líderes da atualidade e ilustra bem a Lei do Nicho.

Uma das principais características de um líder é saber colocar as pessoas certas nos lugares certos. O líder para ter sucesso precisa valorizar e conhecer sua equipe, distribuir e delegar as tarefas para as pessoas certas de modo que elas desempenhem suas atividades de modo mais eficiente possível. Cada pessoa tem suas características e habilidades.

Todos nós na vida profissional já conhecemos pessoas que são ótimas estrategistas, mas no momento de colocá-las em práticas são sofríveis. Ao contrário nos deparamos com pessoas que não são bons estrategistas, mas sabem reconhecer uma boa estratégia e o principal tem coragem de colocar em prática mesmo que ela não esteja completa. Por esse motivo o líder deve entender que se seus liderados estiverem nos lugares errados as metas não serão cumpridas.

Concluindo a pessoa errada no lugar certo causará desmotivação do colaborador, a pessoa certa no lugar errado pode trazer confusão. Por outo lado a pessoa certa no lugar certo é sinal de avanço e o melhor dos mundos, pessoas certas nos lugares certos trará melhoria contínua.

O problema é que muitas vezes as empresas insistem em contratar águias para fazerem trabalhos de patos e teimam em colocar patos para fazerem trabalhos de águias. Ai que não dá certo mesmo!

Vamos refletir e sucesso!

Comments are closed.