As fábricas em alto mar

Pedro Paulo Morales

Por Pedro Paulo Morales

Um trecho do programa “O Imponderável” apresentado por Gil Giardelli na Record News me chamou muita atenção.

Gil Giardelli trouxe o exemplo da Li & Fung Limited empresa sediada em Hong Kong e fundada em 1906 por Fung Pak-liu um professor de inglês. A empresa iniciou suas operações com foco no comércio de artesanato da China para o Ocidente até se tornar a corporação multinacional de hoje, gerenciando cadeias de suprimentos complexas para marcas e grandes varejistas em todo o mundo, o que significa que a roupa e o celular que você está usando pode ter sido produzido em várias partes do mundo.

A empresa que hoje está presente em mais de 50 países onde conta com mais 230 escritórios e 15.000 funcionários, trabalha para 350 clientes e 7. 300 fornecedores.

A grande missão da  Li & Fung Limited é intermediar negócios, onde um fornecedor tem a demanda e solicita a empresa para que ela torne esse pedido realidade. O modelo de negócio implantado na empresa, onde uma calça ou camisa pode ser produzido em várias partes do mundo visa colaborar para que seus clientes disponham para venda nas suas lojas e pontos de vendas produtos que possam ser entregues em curtos espaços de tempo e a custos baixos.

O professor Giardell trouxe uma novidade que considero muito significativa quando se fala em produzir mais, em menor tempo e com o menor custo possível. A Li & Fung vem utilizando navios manufaturas para realizar suas produções de roupas.

Em navios que viajam do oriente para ocidente são produzidas roupas com a utilização de muita automação, utilização de robôs e pouca intervenção humana. Essas coleções são produzidas em alto mar enquanto verdadeiras fábricas sobre águas cruzam os mares.

Utilizando essa forma de produção é possível embarcar parte da matéria prima em um país, parte no outro ou quem sabe algum pessoal mais especializado que faz parte da cadeia produtiva em outro pais e até mesmo já ir entregando os produtos produzidos na viagem em alguns portos.

Claro que como Gil falou no programa ainda tem que se discutir algumas questões como impostos, leis trabalhistas ou navios piratas que produzem em alto mar e precisam ser resolvidas pois essas inovações não podem ser deixadas de lado.

Como lição aprendida podemos deixar que a sobrevivência nos negócios vai depender de estratégias como as utilizadas pela Li & Fung a qual transcrevo do site da empresa “Conectar mentes brilhantes e ideias de crowdsourcing, usando design thinking, espaços de trabalho colaborativos prototipagem rápida são apenas algumas das maneiras que inovamos na Li & Fung todos os dias.”. Parece que esta é a receita de uma empresa que continua inovando mesmo com 114 anos de idade.

Vamos refletir e sucesso!

Pedro Paulo Galindo Morales é Graduado em Gestão, Especialista em Controladoria, MBA em Gestão Estratégica de Pessoas e Técnico em Contabilidade. Atua também como Editor do Blog Falando de Gestão e Professor EAD www.falandodegestao.com.br , pedropaulomorales@yahoo.com.br

Comments are closed.