Você está na categoria Artigos

Fim do e-mail é tendência na comunicação interna das empresas

Há mais de dois anos, a startup Ummense, que é uma plataforma de gestão de equipes, eliminou a troca de e-mails entre os colaboradores

unnamed (1)

Parece algo distante, mas os e-mails estão com os dias contados, pelo menos da forma como conhecemos hoje. Diariamente, bilhões de e-mails são enviados e o excesso de mensagens que lotam as caixas de entrada nos e-mails corporativos geram cada vez mais estresse e angústia entre os colaboradores, sem contar o risco de perder informações importantes, não ser copiado em alguma mensagem e o recebimento crescente de spams. Leia Mais

As 4 etapas da autoliderança…

Professor Menegatti

Palestrante em Vendas, Motivação e Liderança

 Por Professor Menegatti – Palestrante e Administrador de Empresas

Nos meus anos de experiência liderando equipes de varejo, aprendi que o primeiro passo para que você possa influenciar e ser capaz de causar impacto em sua equipe, é exercitar a AUTOLIDERANÇA que é o processo de conhecer a si mesmo.

Assim, quero te convidar a aprender sobre Autoliderança em 4 etapas? Leia Mais

30% dos MEIs fecham em até cinco anos: boa gestão financeira poderia evitar falências

77% dos MEIs nunca fizeram curso ou treinamento sobre finanças e apenas 33% têm conta separada para o negócio

Design sem nome (4)

Cerca de 23% das micro e pequenas empresas fecham antes de completar cinco anos de atividade no Brasil, segundo estudo divulgado em 2021 pelo Serviço Brasileiro de Apoio a estes negócios (Sebrae). No caso dos Microempreendedores Individuais (MEIs), o índice chega a quase 30%. Para os pesquisadores, um dos principais motivos para o fim desses empreendimentos é a falta de planejamento e gestão financeira, sobretudo no contexto de crise econômica causado pela pandemia.  Leia Mais

Qual a real necessidade de se comunicar bem?

Professor Carlos Delano

Professor Carlos Delano

Por Carlos Delano Rebouças – Educador profissional | Revisor de textos |Facilitador de curso

Sei que pode não se tratar de indagação feita por muita gente essa que figura no título deste texto. Disso temos certeza. Sabemos também que mais difícil que fazer essa pergunta a alguém é de direcioná-la a si próprio. E o problema reside nessa questão.

Quando o questionamento surge, é sinal de que algo chamou a atenção e que há (ou houve) razões para isso. Será que foi uma necessidade percebida diante de um alerta? Será que se deu após ter sido vítima do impiedoso preconceito linguístico? Ou quem sabe foi porque a ficha caiu naturalmente diante de inúmeros insucessos na carreira, sem nunca ter notado que um dos grandes responsáveis foi a sua capacidade comunicativa? Leia Mais