Tag Archive for Recursos Humanos

A energia da Geração Y tem lugar nas empresas

AP 1
A última geração do século XX precisa estar motivada para permanecer nas empresas

As pessoas nascidas entre 1980 e 1996, a chamada Geração Y ou millenials, têm a fama de não se prenderem a uma empresa e passarem por diferentes empregos. Diversas pesquisas comprovam isso, porém, algumas organizações, como a Japan Tobbaco International – JTI, têm conseguido reter esses talentos e mostram que essa regra tem exceções.

O relatório Como os millennials querem trabalhar e viver*, feito recentemente pelo instituto Gallup, apontou que, nos Estados Unidos, 21% dos millennials dizem ter mudado de emprego no último ano, o que é mais de três vezes o número de pessoas de outras gerações que relataram o mesmo. Leia Mais

Como as empresas estão se reinventando frente às mudanças globais de capital humano

São Paulo, novembro de 2019 – Segundo pesquisa global da Deloitte “Tendências Globais de Capital Humano 2019”, os desafios da sociedade em relação a questões econômicas, sociais e políticas exigem que as organizações reinventem suas atividades e processos. Foram entrevistados mais de 10 mil líderes de negócios e Recursos Humanos de 119 países e, destes, 80% concordam que a diversificação é um caminho a ser trilhado.  Leia Mais

Gerente Saiba Como Escolher a Pessoa Certa Para Sua Equipe

julio-cesarPor Julio Cesar S. Santos

Quais os Principais Parâmetros a Analisar no Perfil de Um Candidato? Por Que Analisar os Motivos das Últimas Demissões do Candidato? Por Que Bons Profissionais Pediram Demissão?

Se você é o Gerente e já analisou a si mesmo, sua empresa, sua equipe e definiu seus objetivos, provavelmente já sabe quem ficará na empresa, quem mudará de função, quem necessitará de treinamento, quem merecerá cuidado especial e quem precisará ser trocado.

Dessa forma, essa é a hora de pensar em novas pessoas para substituir alguém ou para a vaga aberta – se o negócio estiver crescendo – e, para isso, será necessário que você passe por algumas etapas: Leia Mais

Como a tecnologia tem inovado os treinamentos corporativos?

Pensando em facilitar os treinamentos corporativos para as empresas de maneira menos custosa, surgem as Edtechs, startups que utilizam a tecnologia para o desenvolvimento da educação

Por Wanderson Leite

A maioria das grandes empresas realiza treinamentos apenas uma vez por ano, colocando seus funcionários em uma sala fechada, com as luzes apagadas e um especialista passando slides. Mas, na era da tecnologia, celular 24h na mão e constantes transformações, esse tipo de situação pode se tornar contra produtiva. Leia Mais

Síndrome do Impostor: você sabe o que é e como evitar?

Por Felippe Virardi

É comum pessoas de sucesso atribuírem seus feitos à sorte ou devido a ajuda de outras pessoas. Esse comportamento recebe o nome de Síndrome do Impostor, revelando que muitos profissionais tendem a se considerar indignos de tal conquista, se sentindo, muitas vezes, como uma fraude e nutrem até mesmo uma sensação de a qualquer momento poderem ser desmascarados. A desordem psicológica foi descoberta pelas psicólogas Pauline Rose Clance e Suzanne Imes, nos anos 70, após um estudo feito com profissionais mulheres que não se sentiam competentes ou qualificadas o bastante para determinada posição ou trabalho. Leia Mais

Qual o limite de comportamento no ambiente de trabalho?

Dizem que passamos a maior parte do nosso tempo trabalhando do que com a nossa família, então deve  haver um limite de comportamento no ambiente de trabalho,certo? Nos escritórios e demais locais de trabalho precisamos evitar algumas atitudes que podem nos prejudicar – mesmo em lugares mais descontraídos, como startups de tecnologia e agências de comunicação.

Ficou em dúvida sobre quais são os limites dentro do ambiente de trabalho? Vamos lá então… Leia Mais

Qual cadeira custa mais caro, a vazia ou a mal preenchida?

Cadeiras mal preenchidas

Demissões podem diminuir se a empresa olhar além do currículo ao contratar

É comum que ao fazer uma entrevista, a empresa olhe o currículo do profissional, sua formação, experiências e até entre em contato com locais de trabalho anteriores no momento de decidir a contratação. Porém, é preciso levar em conta mais que o QI – Quociente intelectual.

O QE – Quociente Emocional, quando levado em conta, pode avaliar os índices de sentimentos primários no ser humano: raiva, medo, tristeza, felicidade e amor. Leia Mais

Os desafios da liderança compartilhada

welli

Por Wellington Moreira

Não sei se você tem percebido, mas em algumas organizações a liderança no topo já não é exercida por apenas uma pessoa. Recentemente, atendi uma empresa na qual há dois presidentes com igual poder de decisão. E esse modelo não é novo por lá: eles trabalham assim há 30 anos.

Na sociedade como um todo existe um movimento que prega o esvaziamento do poder centrado em líderes alfa. Se antes aceitávamos tranquilamente que um dirigente decidisse o futuro de centenas ou milhares de pessoas, hoje esse paradigma já é bastante questionado. Inclusive, nas empresas. Leia Mais

Ei velho! O que você está fazendo aqui?

Pedro Paulo Morales

Por Pedro Paulo  Morales

O título deste artigo espanta? É a pura realidade, isso acontece ainda nas empresas e com muita frequência, mesmo que seja por meio daquelas brincadeiras sem gosto que andam por aí, no mundo corporativo e até em outros lugares.

Este diálogo foi presenciado por mim em uma loja onde um rapaz novo perguntava a um senhor se 50 poucos anos o motivo pelo qual ele não ia para casa e o senhor respondeu com melancolia “o jeito é esperar…”. Leia Mais

Como atrair e reter a geração Z?

Por Mylena Cuenca

O mercado de trabalho está começando a receber uma nova geração de profissionais, a chamada geração Z, que são os nascidos entre 1995 e 2010. Os nativos digitais, como são chamados, são reconhecidos pela facilidade com a tecnologia, a busca por propósito, crescimento acelerado e dinâmico.

Segundo o IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, jovens entre 18 e 24 anos representam 15% da população maior de idade no país. E as empresas começam a se preparar para receber esses novos colaboradores, que se diferenciam pela alta capacidade inovadora e tecnológica, uma necessidade cada vez mais demandada pelas empresas que passam pela transformação digital. Leia Mais

No mundo corporativo, “como vai?” deve ser uma pergunta sincera

*Cícero Hegg

Há alguns anos, quando passava por uma fase bastante difícil em minha vida, encontrei um vizinho no elevador, que me perguntou como eu ia. Fui absolutamente sincero: respondi que não estava nada bem. A reação de susto e surpresa que ele demonstrou com a minha resposta me fez pensar o quanto esperamos que todos a nossa volta, no círculo pessoal ou corporativo, estejam ligados no piloto automático. A resposta que o meu vizinho esperava seria um protocolar “vou bem. E você?”. Leia Mais