Tag Archive for Qualidade

Desmistificando a certificação ISO 9001

Por Marcieli Mantovani, analista de novos negócios do Consignet*

Já aconteceu com você de ver um selo da ISO e pensar: “Tá e o que isso tem de diferente?”. Já se perguntou o que difere uma organização certificada pela ISO de outra não certificada? Qual é a verdadeira finalidade da certificação ISO?

Ela faz parte de um conjunto de normas internacionais que podem ser implantadas em qualquer empresa, seja ela de porte grande ou pequeno, e de qualquer seguimento. Possui como objetivo assegurar a qualidade de produtos e serviços que são fornecidos para os consumidores e com isso garantir a sua satisfação.  Leia Mais

A gestão da qualidade é responsabilidade de todos, ou é apenas uma história da carochinha?

Qualidade

Autores: Bruno Rodrigues Cabral, Carla dos Santos Macedo Paes, Tássia Amorim e Mauricéia dos Santos Carvalho.

Para início de conversa, é preciso apresentar o significado da palavra qualidade. Qualidade, segundo alguns dicionários, é a perfeição, precisão ou conformidade relacionada a um padrão preexistente. Tem como origem o termo QUALITAS – o jeito de ser ou a qualidade que se busca, conectando-se com – qual tipo ou de que tipo? Sempre na necessidade de se obter uma correlação do fato a um modelo aceitável. Leia Mais

O Cliente Fundamental Quase Sempre Ignorado

Enernesto Berg

Por Ernesto Berg

Desnecessário dizer que o foco central de qualquer organização é atender o cliente externo – e da melhor forma – pois sem cliente não há empresa. Aliás, conhecê-lo é, não apenas, essencial para sua empresa, como também  importante fonte de informação para você poder melhor relacionar-se com ele e prestar-lhe um serviço de primeira. Mas, cabe aqui uma pergunta:

Você sabe quem são seus clientes? Leia Mais

Organização: sinônimo de lucro ou ocupação de quem não tem nada para fazer

Autor: Gilmar Duarte da Silva

Estamos acostumados a valorizar as aparências, mesmo correndo o risco de cometer erros enormes. Acúmulo de trabalho, por exemplo, pode ser sinônimo de desorganização, excesso de centralização e dinheiro indo para o ralo.

Quem já viveu um pouco mais certamente se lembra de colegas, chefes ou diretores que mantinham, por hábito, mesas com grandes pilhas de papéis. Esta prática dava a impressão de importância, de muita ocupação e excesso de responsabilidades. Conseguir um tempo para discutir qualquer assunto com uma pessoa dessas era quase impossível, pois estava sempre assoberbado de trabalho que se acumulava sobre a mesa a olhos vistos.

Aqueles que sempre deixam as mesas e arquivos organizados parecem nada ter para fazer, e acabam recebendo mais e mais trabalho para ocuparem-se o dia todo. Aos poucos, observou-se que o rendimento das pessoas organizadas é maior e emprega menor esforço, exatamente como Taylor (1856/1915), considerado o pai da administração científica, pregava. Segundo ele, as tarefas devem ser realizadas de modo mais inteligente e com a máxima economia de esforço.

Quando a prática da mesa cheia é de um “colaborador raso”, todos ficam à vontade para criticá-lo, mas se isso ocorre com o chefe ou o empresário fica mais difícil chamar a atenção, mas é evidente que tal desorganização atrapalha o bom desenvolvimento do trabalho. Leia Mais