Você está na categoria Artigos de Delano Rebouças

Redes sociais: a vitrine de vaidades e mentiras

Professor Carlos Delano

Por Professor – Carlos Delano Rebouças – Educador profissional | Revisor de textos |Facilitador de curso

Muitos usam as redes sociais para extravasar, para mostrar-se com o seu lado mais natural de ser. A chance de sorrir sem as sonoras gargalhadas no silêncio do “kkkkkkk…”, quando a timidez não permite vídeos.

Outros as enxergam como a oportunidade de se tornar conhecido ou ainda mais que isso. Famoso? Sim! É o caminho mais curto e instantâneo de ganhar notoriedade, de tornar os milhões de josés e marias em josephs e marys. É a chance que um calango tem de sonhar com o dia que vai se tornar um jacaré. Leia Mais

Atente-se aos vícios de linguagem

Professor Carlos Delano

Por Professor – Carlos Delano Rebouças – Educador profissional | Revisor de textos |Facilitador de curso

Pode parecer bobagem para alguns o uso frequente e incontrolável dos vícios de linguagem, sim, mas para outros, muitos outros mais exigentes com relação ao respeito à norma culta da língua portuguesa, trata-se de algo bastante prejudicial para o processo de comunicação, algo que impacta negativamente na imagem do interlocutores, sobretudo do emissor quando na sua vez de falar, sem nos furtar de dizer que interfere bastante na compreensão da mensagem por se transformar em um ruído que se torna protagonista, chamando bem mais a atenção que a mensagem a ser transmitida. Leia Mais

O faz de conta da educação

Professor Carlos Delano

Professor Carlos Delano

Carlos Delano Rebouças – Educador profissional | Revisor de textos |Facilitador de curso

O universo infantil é (ou reluta para continuar a ser) um faz de conta. Nele,  tudo é belo, puro e encantador. Como é bom viver essa fase que já tem cara de saudade em tempos de descobertas tecnológicas! Leia Mais

Valor à Educação

Professor Carlos Delano

Carlos Delano Rebouças – Educador profissional | Revisor de textos |Facilitador de curso

Há uma máxima que diz que, para evitar polêmicas, não se deve discutir política, futebol e religião. Mas será que educação pode ser incluído nessa lista?

O máximo que pode acontecer é ficarmos como protagonistas únicos de um monólogo sem plateia (desculpem a redundância), cujo enredo não atrai expectadores. E quando aparecem alguns, logo dizem: “Vamos mudar de assunto?”. Outras vezes se calam, na pura confirmação de que não interessa, aliás, aborrece, visto que já rotulam seus defensores com os mais depreciativos adjetivos, que prefiro nem exemplificá-los. Leia Mais