Entenda o que é ESG e como impacta os investimentos

Artigo 02.07

É normal que o mundo dos investimentos apresente uma série de siglas que às vezes são confusas para quem chega nesse universo. Entre outras estão FGC, LCI e B3. Na prática, entender sobre elas não é difícil, sendo o mais importante compreender os diferenciais que cada uma oferece no mercado.

É nesse sentido que o chamado ESG precisa ser entendido. Principalmente pelo fato de possuir características diferenciadas em relação a outros ativos da mesma natureza.

O que significa ESG

ESG é sigla para Environmental, Social, Governance, do inglês Meio Ambiente, Sociedade e Governança. Entendendo o significado em português, fica mais fácil estimar a que esse ativo se dedica, ou seja, à sustentabilidade.

Na prática, ESG é uma modalidade de fundo de investimento, concentrada em empresas tidas como sustentáveis. Assim, é preciso que a empresa passe por uma análise detalhada que atribua a ela a condição para ser inserida nesse tipo de projeto, considerando seus impactos no meio em que atua, mas também sua viabilidade em termos financeiros.

O ESG caracteriza-se como um tipo de fundo de investimento de renda variável, ou seja, trata-se de uma aplicação oferecida dentro da Bolsa de Valores. Embora possua uma série de características próprias, seu funcionamento segue o padrão dos fundos de investimentos.

Como funcionam esses fundos

Assim como ocorre em outros tipos de fundos de investimento, no ESG o investidor interessado no assunto, adquire uma ou mais cotas de um projeto a fim de lucrar com sua valorização, podendo vender seus ativos futuramente ou não.

Como o patrimônio do fundo é destinado a empresas que atendem aos critérios de sustentabilidade, na prática, esse investidor aplica seu dinheiro em uma nova maneira de ver o mundo, na qual os cuidados com o meio ambiente e a qualidade de vida no trabalho tendem a transformar a lógica empresarial.

Nesse tipo de fundo existe um gestor responsável por fazer avaliações e encontrar ativos para investir com o montante dos cotistas. Sendo bem-sucedida sua abordagem, há uma valorização dos ativos, gerando retorno para o investidor. A partir de então, esse investidor pode ganhar com a venda de sua participação no projeto o ou então reinvestir o dinheiro em busca de mais cotas, já que elas podem ser compradas no ambiente da Bolsa.

As modalidades de ESG

Como as decisões referentes ao fundo são tomadas por gestores responsáveis, existem diferentes destinos para o dinheiro do investidor. Em geral, ele auxilia no desenvolvimento de projetos de maior cuidado ambiental, social e de governança, mas é possível também que os recursos sejam destinados a títulos de renda fixa, por exemplo, desde que haja uma avaliação de que o portfólio do fundo continuará atendendo a critérios socioambientais e de governança.

Para quem se preocupa com a questão da sustentabilidade, é possível, inclusive, investir nos chamados títulos verdes por meio de renda fixa, financiando projetos com essas características. A via é buscar por ativos como debêntures, por exemplo. Nesse caso, a ideia é diferente do que acontece no fundo. O investidor torna-se credor do projeto, que se compromete a arcar com juros fixos ou variáveis até o encerramento do período acordado entre as partes.

Pensando na competitividade desse tipo de ativo empresarial no longo prazo, a ESG pode ser um diferencial nas escolhas que o investidor faz hoje. É por isso que esse tipo de aplicação pode ser considerado uma tendência.

Os ativos verdes como tendência

No geral, a preocupação com o meio ambiente e as formas como as empresas e instituições de diferentes tipos operam têm aumentado cada vez mais. É o que se vê em reuniões de cúpulas de países desenvolvidos, como o G7, nas quais geralmente são discutidas questões a respeito de medidas que podem ser tomadas para evitar que práticas danosas ao meio ambiente sejam dominantes entre as empresas.

Isso quer dizer que soluções como ESG são interessantes não só sob o ponto de vista da preocupação com o futuro do planeta, mas sim, sob o ponto de vista do que será rentável no futuro. Com medidas mais rígidas dos governos visando controlar a emissão de gases e impedir práticas tidas como inadequadas, as empresas que estiverem fora dessa nova maneira de empreender terão problemas para crescer, enquanto as outras, tendem a ser as futuras líderes de mercado.

Comments are closed.