Toda boa conversa é como um bom jogo de ping-pong

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Por Kleber Pinto*

Qual a relação do jogo de ping-pong com a comunicação via canais digitais? Pouco tempo atrás me peguei refletindo sobre o assunto e consegui fazer alguns paralelos, mesmo não sendo um praticante da atividade, apenas um observador.

Ping-pong vs. Tênis de mesa: seja qual for, é preciso estar em dupla

Antes de mais nada, é preciso diferenciar o ping-pong do tênis de mesa. Apesar da semelhança, o tênis de mesa é um esporte organizado e mais competitivo, já o ping-pong é uma atividade recreativa, mais descontraída. Os dois são prazerosos, têm regras e características específicas, mas exigem, minimamente, duas pessoas, assim com as conversas.

Gosto de pensar que o ping-pong é aquele diálogo mais leve, informal, em que as condições estão estabelecidas e o grande objetivo é compartilhar experiência. Já quando observo o tênis de mesa, continuo vendo uma comunicação bilateral, mas um pouco mais pautada em regras e competitividade. Trazendo essa visão para o universo digital, acredito que o ping-pong está mais para as redes sociais e as plataformas virtuais que estamos habituados.

De qualquer maneira, a premissa dessas duas atividades é que haja disponibilidade das partes em entender as regras, mover-se rapidamente, gastar energia e jogar junto.

Explico:

Entender as regras: no ping-pong, por exemplo, é preciso que o jogador adversário veja a bolinha, desde a hora que ela é arremessada para cima até ser atingida pela raquete. Na comunicação, a boa conversa é aquela que promove diálogo e permite que os lados envolvidos estejam atentos no assunto (a bolinha) o tempo todo.

Mover-se rapidamente: Não há uma boa partida sem flexibilidade. Os jogadores estão sempre ao redor da mesa se movimentando para não deixarem a bola parar. O mesmo vale para as conversações, que dependem que as partes interajam para que a conversa continue.

Gastar energia: às vezes, os assuntos são mais complexos e exigem mais reflexão e atenção, consumindo energia dos dois lados, assim como nas partidas mais difíceis. O benefício? São esses momentos que trazem mais aprendizados.

Jogar junto: sem sinergia e parceria não há partida. É preciso estar à mesa de ping-pong observando o outro jogador e pensando na melhor estratégia para que o jogo seja interessante. A vontade em dialogar, seja ela na mesa de jogo ou na comunicação, é a base de tudo.

Se a sua mesa de ping-pong for uma rede social ou uma plataforma digital, recomendo que busque uma dupla que esteja disposta a fazer uma boa partida.

* Kleber Pinto é Diretor de Digital e Comunicações da midiaria.com | marca e comportamento digital.

Fonte: Midiaria.com

 

Comments are closed.