Suas atividades estão obsoletas para sua empresa?

Pedro Paulo Morales
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Por Pedro Paulo Morales

Assistindo TV neste final de semana tive a oportunidade de assistir a nova a nova série médica New Amsterdam a qual abordou um tema interessante, sobre a utilidade de nosso trabalho para as organizações. A série conta a história do Dr. Max Goodwin que na série é um diretor do hospital e se propõe a destruir a burocracia, prestar cuidados excepcionais as pessoas que mais necessitam e devolver ao hospital a glória que o colocou no mapa, o New Amsterdam.

No episódio que assisti o Dr. Goodwin reúne o pessoal do hospital e propõe um desafio aos funcionários do hospital, observar suas atividades durante um dia.  Goodwin, complementou dizendo, se durante o dia ninguém pedir informações a eles as suas atividades poderão estar obsoletas. A reação da equipe foi imediata, todos ficaram com medo de serem demitidos.

Durante o episódio 2 situações chamaram a atenção, a de um radiologista, que trabalhava no porão do hospital sendo que há cinco anos não revelava um raio X pois no hospital já era tudo digitalizado. Quando o diretor perguntou ao radiologista se ele não se sentia inútil e se queria mudar de função foi surpreendido com a resposta que ele queria ficar no mesmo local porque estava perto da aposentadoria.

Também nesse episódio houve o exemplo de um porteiro que buscou novas atribuições pois desde que uma cancela foi instalada no hospital ele passava o dia sentado em uma cadeira, sem fazer nada e não queria continuar assim pois sentia que se continuasse assim poderia ser demitido.

Duas reações para o mesmo problema, atividades obsoletas. Enquanto o radiologista foi acomodado e sem motivação para o trabalho o porteiro foi proativo e queria sair da zona de conforto, queria crescer.

E você como tem se comportado no seu trabalho, tem sido reativo ou proativo? Tem esperado a demissão como se fosse questão de tempo ou tem sido proativo, entendendo que para se manter empregado tem que se tornar um empreendedor corporativo, aquele que tem práticas de dono do negócio e trabalha para fazer a empresa crescer e dar certo, fazendo além do básico.

Analise suas tarefas, verifique se elas estão obsoletas, inove e tente coisas diferentes, aceite desafios e se mantenha disponível porque as empresas precisam cada vez mais de colaboradores proativos e você do seu emprego.

Vamos refletir sobre isso e sucesso!

Pedro Paulo Galindo Morales é Graduado em Gestão, Especialista em Controladoria e Técnico em Contabilidade. Atua também como Coordenador de conteúdo do Site Falando de Gestão www.pedropaulomorales.com, pedropaulomorales@yahoo.com.br

2 comments

  1. Herson Gomes disse:

    Grande Pedro!

    Excelente reflexão. Parabéns! Gosto muito dos seus artigos….

    Forte Abraços.

    Herson Gomes da Enel Rio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *