Quando o chefe faz você adoecer

Dermeval Franco _ LinkedIn.html
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Por Demerval Franco

Um chefe ruim pode fazer tão mal para a sua saúde quanto fumar passivamente.

A maior causa do stress no trabalho a ponto de fazer uma pessoa adoecer é o chefe. Esta é a conclusão de um estudo publicado pela Associação de Psicologia dos Estados Unidos, e veiculado em artigo da revista Quartzque revela que 75% dos trabalhadores americanos indicam seus chefes na hora de encontrar a maior causa de stress no trabalho. E a maioria (59%) dos queixosos não sai do emprego por medo de ficar desempregado. São infelizes que se sujeitam aos “gostos e maneirismos” de maus chefes. Se você estiver passando por isso ou quer ajudar alguém que esteja na mesma situação que a sua, leia o artigo até o final. Caso contrário você é um felizardo.

Segundo a investigação, as pessoas tendem a acomodar-se nos empregos mesmo quando sabem que não estão bem e que, de algum modo, são maltratadas. Contudo, esta decisão pode tirar sua saúde. Pesquisadores da Harvard Business School e da Stanford University analisaram os resultados de mais de 200 estudos para entender melhor os efeitos do estresse no ambiente de trabalho. Eles descobriram que se preocupar com a perda de emprego aumenta em 50% a probabilidade de ter problemas de saúde e que ter um trabalho excessivamente exigente aumenta em 35% a probabilidade de ter uma doença diagnosticada por um médico. O mesmo estudo revela que o risco de ter uma doença grave é equivalente ao que os fumantes estão expostos. Os dados mostram também que “as pessoas arrumam uma maneira de se conformar com seus empregos, e isso faz com que a decisão de pedir demissão e sair em busca por um ambiente de trabalho mais saudável seja ainda mais postergada”.

Existem muitos chefes ruins por aí. Mais do que você pensa.

Chefes ruins são geralmente verbalmente agressivos, narcisistas e podem até se tornar violentos. Frases típicas dos chefes ruins são: “Aqui nada funciona se eu não estiver por perto!”, “Nós sempre fizemos assim!” ou “Agradeça que você tem um emprego.”

Por qual motivo maus gestores ainda têm liderados?

Vamos expor alguns sinônimos para a palavra “mau”: cruel, desumano, odioso, perverso, frio, maquiavélico, maléfico, maldito etc. Para alguns subordinados essas palavras traduzem a imagem de seus gestores. Essa pode ser a causa principal do absenteísmo e da rotatividade de funcionários, que permanecem em seus trabalhos porque vivemos uma cultura permanente de propagar o medo da “crise” financeira do país. Então, muitos funcionários preferem “engolir sapos” diariamente a tentar qualquer outra oportunidade. Ou mesmo de trocar seis por meia dúzia. Ou pior!

– EU!? Não! Imagina!!!

É comum chefes problemáticos não reconhecerem suas falhas, seus comportamentos, atitudes e suas maldades. Ao escrever esse artigo, lembrei-me de onde pode estar esse “bad boss” na estrutura organizacional. Ele está em qualquer lugar. Numa supervisão, coordenação, gerência, diretoria, superintendência, presidência… Pode ser um empresário ou acionista. Qualquer cargo de comando. Quanto maior a amplitude de comando… Bem, você sabe qual o impacto top down que isso pode ocorrer.

Violência psicológica na má gestão

A consequência da má gestão é o adoecimento do funcionário. Doenças psicossomáticas se desenvolvem diante do estresse vivido. Segundo Soboll (2006) e publicado em artigo no site do Sindicato dos Advogados do Estado de São Paulo, “os comportamentos de violência psicológica são: “pressão exagerada para cumprir metas, supervisão constante e rígida, uso de estratégias de exposição constrangedora e comparação dos resultados entre os membros do grupo, ameaça de demissão constante […]”. Existem chefes que tentam mascarar essas atitudes como brincadeiras, porém se apenas um dos lados se diverte e o outro não, definitivamente, não pode ser caracterizado como um jogo de descontração”.

Engana a si próprio aquele que pensa que ser “durão” é a melhor forma de conduzir sua equipe. Consequências: um mau gestor causa improdutividade, baixa estima, diminui a parceria entre vários setores da empresa, gera um ambiente conflitante e promove o bullying. Todo esse cenário pode piorar quando essas ações passam a ser classificadas como assédio moral. A empresa perde qualidade de trabalho e as finanças também são afetadas porque o funcionário passará a se ausentar mais vezes para ir ao médico, além de que colaboradores inseguros, tristes e desestimulados podem usar as mais desapropriadas formas de extravasar a sua raiva, desempenhando seu trabalho a fim de prejudicar o chefe e até mesmo a empresa. Conheço casos de sabotagem e roubo.

Image free internet

O que fazer se você estiver passando por essa “crise” profissional?

Se você tem problemas pessoais ou profissionais com o seu chefe e seu trabalho está muito chato com ele, isso não significa que você não pode melhora-lo. Vejamos aqui quatro maneiras para lidar com essas situações indesejadas:

  1. Faça uma lista de tarefas e objetivos para o seu dia de trabalho. Cada vez que completar algum item da lista, risque-os da lista. A sensação de ter conseguido realizar alguma coisa, mesmo em um ambiente hostil, vai te ajudar a seguir em frente. (Colombia, 2016)
  2. Desligue-se nos finais de semana. Não cheque mensagens do trabalho em nenhum meio ou canal de comunicação. Passar um tempo sem pensar no trabalho pode te ajudar a recarregar as baterias. (Colombia, 2016)
  3. Entenda o que o estresse faz com você e saiba como combatê-lo. – Se o seu chefe lhe deixa estressado, você pode se beneficiar de alguns truques simples que irão ajudar a aliviar a tensão, como meditação em 1 minuto, (veja o vídeo aqui), respirar profundamente por alguns minutos ou dar uma caminhada. (Gosto de caminhadas. Oxigenam ideias!) Isso irá relaxar você e o deixará mais tranquilo para responder adequadamente aos problemas.
  4. Tenha um rotina relaxante fora do trabalho – Isso parece óbvio, mas ter um hobby ajuda em muito a esquecer dos problemas diários enfrentados no trabalho. Melhor ainda, faça algo que você gosta logo após o trabalho, como praticar algum esporte, fazer uma academia ou aprender uma nova língua; isso irá fazer com que a transição trabalho-casa seja bem mais agradável, o que irá melhorar o seu humor – e a sua saúde. Eu gosto de ouvir música. Meu hobby por som Vintage me aguarda sempre ao final do dia.

Se as sugestões não funcionarem talvez seja hora de uma mudança profissional. Muitas vezes, uma mudança para outro departamento na mesma empresa pode ser a solução. Mas caso isso não seja possível, procure sair de cabeça erguida – você irá se respeitar mais, sabendo que fez tudo o que podia para contornar a situação foi feito.

Sei que é um tema de difícil debate por causa da exposição. Mas agradeço aos amigos e colegas os comentários.

Referências:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *