O faz de conta da educação

Professor Carlos Delano

Professor Carlos Delano

Carlos Delano Rebouças – Educador profissional | Revisor de textos |Facilitador de curso

O universo infantil é (ou reluta para continuar a ser) um faz de conta. Nele,  tudo é belo, puro e encantador. Como é bom viver essa fase que já tem cara de saudade em tempos de descobertas tecnológicas!

Esse faz de conta também é extensivo ao universo adulto. Não é que seja um retrato da alienação, longe de ser, mas quem sabe uma válvula de escape para equacionar problemas nessa matemática da vida que não nos priva de aborrecimentos. Passa a ser uma estratégia usada por muitos da sociedade, nos mais diferentes setores, para se esquivar de suas responsabilidades e de consequências.

E a educação não fica de fora! Nela, muitos de seus atores escolhem o anonimato, limitam a sua atuação, seus esforços, convictos do que estão fazendo, sustentados nos pilares da omissão, com o afinado discurso de que não vão mergulhar de cabeça no propósito de dar o melhor para o desenvolvimento da educação, por enxergarem que do outro lado há alunos que demonstram desinteresse. Dizem que fazem apenas o básico, fingem ensinar, na certeza de que a outra também finge  aprender.

Enquanto esse pensamento se ratifica na educação brasileira, números tentam mostrar que os resultados são satisfatórios, com alguns guerreiros (de ambos os lados) indo na contramão desse pensamento.

Comments are closed.