Novos gestores em tempos de pandemia

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Uma boa notícia para quem tem  menos de três anos como gestor: o momento é tão diferente, que a sua relativa inexperiência se equiparou com alguns dos gestores mais maduros do mercado

por Ismael Kolling (*)

Situações como as que estamos vivendo são diferentes de tudo o que um gestor planeja para o seu negócio ou sua equipe. Diante disso, muitos se veem completamente paralisados. Em minhas consultorias é muito comum ver novos gestores perguntarem como agir em uma situação como esta, que jamais esperariam viver.

Porém, tenho uma boa notícia para você, que tem menos de três anos de gestão: o momento é tão diferente, que a sua relativa inexperiência se equiparou com alguns dos gestores mais maduros do mercado. Gestores experientes costumam ter grandes vantagens em relação aos novatos, porque aprenderam que é fundamental desenhar e projetar cenários e variáveis: “se isso acontecer, agirei desta forma; se acontecer de outra maneira, agirei diferente”.

Costumeiramente, eles preparam seus times para também agirem no mesmo sentido, o que lhes dá muito mais tranquilidade quando as situações fogem do planejamento. Vivemos em um cenário tão extremo, que você, que inicia agora sua jornada de gestão e que não faz planejamento de cenários, está em uma posição de igualdade com alguns dos maiores gestores do seu segmento.

Portanto, você tem, sim, uma grande oportunidade pela frente, a de tentar e de se expor, em um momento no qual estão todos se encolhendo.

Se eu pudesse dar conselhos a mim mesmo no início da minha carreira de gestão, eu daria os seguintes:

  1. Faça com que toda sua equipe entenda mais do seu cliente do que o seu processo. Posso te garantir que seus processos serão absorvidos pelo seu time; não é preciso se desesperar. Sua empresa precisa saber qual o problema do seu cliente para resolver, e cada membro do seu time precisa pensar em ações que possam ajudar, dentro das atividades pelas quais responde. Seu cliente não gasta dinheiro com você porque ele quer, e sim, porque você soluciona algum contratempo dele. Às vezes, você nem percebe qual problema é esse. Se perceber, provavelmente, você conseguirá se destacar ainda mais, deliberando melhor essa adversidade dele;
  1. Comunique um posicionamento claro para o seu time. Para onde você quer levá-lo? Aonde realmente ele deve chegar? Qual é a missão da sua equipe? Por que ela é importante para a empresa? Se for para resolver apenas uma burocracia, talvez sua equipe possa, em breve, ser substituída por um processo digital. Sua equipe precisa trazer resultados efetivos, e ser bem norteada para melhorar a relação da sua empresa com seu cliente;
  1. Desperte a competividade no seu time. Premie os melhores! A escola ensinou teu time a ser nota sete, mas você não quer medianos. Seus colaboradores precisam almejar ser melhores que eles mesmos todos os dias. Para isso, precisam de uma base de comparação, que está dentro da própria equipe. Se as mesmas pessoas seguirem ganhando, continue premiando e incentivando ainda mais, do contrário, retirará o incentivo aos melhores, incentivando-os a se igualarem aos que possuem desempenho inferior;
  1. Entenda de finanças. Uma empresa pode ter o mais belo propósito do mundo, mas precisa ter resultado financeiro até mesmo para saber se suas ações estão sendo valorizadas. Quem valoriza ações das empresas e compra delas, tem o reflexo disso em finanças. Você pode gerenciar uma área que não tem relação direta com vendas, mas administra recursos. Para isso, é preciso analisar o que sua área contribui para a empresa. Caso não contribua, ela não se torna um gerador de valor para a empresa, mas sim, algo “obrigatório ou necessário”, que, na primeira possibilidade, será substituída ou terá orçamento reduzido, enfraquecendo-se. Não importa se você gerencia a equipe de RH, de vendas, da portaria da empresa ou da limpeza. Você precisa agregar valor. É preciso entender o que é valor para a empresa, assim como compreender a parte financeira. Gestor que não domina indicadores de finanças poderá ser uma referência técnica de sua área, jamais uma referência de gestão;
  1. Abra ao máximo as informações para sua equipe. Se possível, abra todas. Posso lhe garantir que tudo aquilo que você evita falar aos seus colaboradores, é comentado nos bastidores, na famosa “rádio peão”. E aquilo que é repetidamente falado nesse meio informal, porque você achou que sua equipe não era madura suficiente para saber, recebe uma versão distorcida e aceita como verdade pelo seu time. Desafie-se a falar de indicadores, de estratégia e de planejamento. Seu time pode até não contribuir tanto quanto você gostaria, porém, sentirá você próximo e estará ao seu lado, e não conversando nos corredores. Costumo abrir o resultado dos meus negócios para o meu time, afinal, eles sempre acham que eu ganho muito mais dinheiro do que realmente eu ganho.

Você tem uma grande oportunidade nas mãos. Saiba que mesmo gestores experientes estão com receio de tomar decisões neste momento. É hora de você movimentar tudo aquilo que sempre esperou ter espaço para fazer, mas se sentia inseguro. É agora que grandes gestores surgem. Forme uma cultura na sua equipe, traga-os para a mesa de discussões. É arriscado tomar decisões agora? Sempre foi arriscado e você sabe disso. O mais arriscado é esperar e deixar a oportunidade de você formar uma cultura de resultados na sua equipe, diferenciando-a de todas as demais.

(*) Ismael Kolling – Executivo de carreira, foi de assistente administrativo a criador e diretor geral de um negócio com faturamento anual bilionário. Atuou em marketing, vendas, gestão financeira e gestão geral de negócios. Doutrinador da gestão simples e negócios escaláveis, ministra mentorias a executivos e empresários; realiza consultorias para expansão escalável de negócios; conselheiro de administração de empresas consolidadas e startups. Empresário dos ramos de varejo de moda, alimentação e consultoria.

Fonte: Literate Books

Comments are closed.