As Competências Operacionais e Intelectuais

julio-cesar
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Julio Cesar S. Santos

Quais São as Competências Técnico-Operacionais Mais Importantes Para as Pessoas? Quantas Competências as Atividades Mais Simples Podem Requerer? E as Mais Complexas? Quais São as Principais Competências Intelectuais? Quais os Melhores Exemplos de Aptidões Intelectuais Transformadas em Competências?

No mundo corporativo, as competências de conhecimentos específicos existem em maior quantidade e, aqui nesse texto, elas serão denominadas de “competências técnico-operacionais específicas”.  E, quanto mais tecnologias de organização, de administração, de gestão comercial, de gestão financeira e de informatização ela tiver, mais competências técnico-operacionais específicas ela terá. Isto é, quanto mais postos de trabalho possuir uma organização, maior quantidade de competências técnico-operacionais ela terá.

Todos os cargos, as funções ou as profissões possuem suas competências técnico-operacionais e habilidades gerais e, dependendo da complexidade deles, poderão requerer quantidades variadas de competências desse tipo. Tanto que, atividades mais simples podem requerer 3 a 5 competências e, cargos mais complexos, 40 ou mais competências. Dependendo da diversidade e / ou sofisticação tecnológica, operacional e organizacional de sua empresam podem-se encontrar de centenas a milhares de pequenas competências.

Portanto, as competências técnico-operacionais são aplicações dos conhecimentos específicos, aplicadas em atividades profissionais ou cargos especializados. Os melhores exemplos são: (a) saber realizar testes de ensaio e análises químicas (é o caso dos analistas de laboratório); (b) saber identificar e corrigir defeitos em qualquer veículo (mecânicos); (c) saber identificar o estado de saúde do paciente, através de sinais vitais (enfermeiras); (d) capacidade de elaborar manuais técnico-organizacionais (é o caso dos analistas de sistemas); (e) saber fazer implantes dentários (dentistas); saber utilizar recursos de multimídia em treinamento (é o caso dos instrutores de treinamentos)

Empresas avançadas em gestão de RH estão aprendendo a identificar, organizar e aplicar essas competências, juntamente com as habilidades e as aptidões técnicas e pessoais requeridas pelos cargos, como referência para a seleção, remuneração, treinamento, administração de carreiras e de talentos.

Competências Intelectuais

Todas as pessoas são dotadas de aptidões mentais ou intelectuais, porque são atributos pessoais inatos; porém, com o passar do tempo, muitos desenvolvem essas aptidões mais do que outros. O potencial intelectual reúne cerca de duas dezenas de tipos de inteligência, cujos mais importantes destacamos abaixo:

 

  • Capacidade de compreensão, de análise e de síntese
  • Capacidade de discernimento, de concentração e de raciocínio dedutivo.
  • Raciocínio lógico, numérico e mecânico.
  • Raciocínio espacial, abstrato e espírito de previsão.
  • Memória (geral, para fisionomias, para nomes, lugares, etc.)

E, quanto mais essas capacidades intelectuais se combinam, mais aumenta o potencial de competência intelectual. Aptidões intelectuais se tornam efetivamente competências quando as pessoas as utilizam na prática e obtém sucesso em suas ações. Veremos abaixo alguns exemplos de aptidões intelectuais transformadas em competências:

  • Pensamento inovador, capacidade de criar opções para resolver problemas, capacidade de aprender e desaprender, aprender a expor e não a impor suas ideias, aprender a arte da dialética e flexibilidade mental para se ajustar às mudanças.

Cada profissão requer que as pessoas tenham desenvolvidas – mais do que outras – algumas das aptidões (ou capacidades intelectuais) e que saibam transformá-las em competências. Dessa forma, veremos abaixo alguns exemplos de profissões e suas respectivas competências:

  • Arquiteto: Inteligência abstrata, raciocínio espacial e criatividade.
  • Advogado: Raciocínio verbal, capacidade de avaliação e capacidade de extrapolação.
  • Analistas de Sistemas: Raciocínio lógico, raciocínio analítico, capacidade de síntese e capacidade de aprender.
  • Professor (não considerando as especialidades): Raciocínio verbal, boa memória, capacidade de avaliação e discernimento e capacidade de síntese.
  • Jornalista: espírito investigativo, curiosidade, capacidade de percepção e raciocínio verbal.

Existem testes (denominados de “testes psicotécnicos”) para avaliar e medir diversas aptidões e capacidades intelectuais. Eles são aplicados em serviços de recrutamento e seleção para empresas, em centros de psicologia aplicada e em determinados centros de orientação vocacional.

OBSERVAÇÃO: A competência intelectual mais básica é a capacidade de combinar raciocínios e associar ideias e conhecimentos para encontrar soluções e resolver problemas. Pessoas que melhor sabem combinar e utilizar seus recursos intelectuais possuem mais capacidade de resolver problemas na vida ou no trabalho.

Portanto, seria desejável que nas escolas, nos lares e nas empresas fossem criadas condições favoráveis ao estímulo do desenvolvimento e aplicação das aptidões e competências intelectuais. As pessoas, as organizações sociais e empresariais terão mais sucesso, quanto mais as aptidões e competências intelectuais forem desenvolvidas e aplicadas.

http://www.profigestaoblog.blogspot.com

http://www.facebook.com/profigestao

Deixe uma resposta